terça-feira, 26 de janeiro de 2010

7 comentários:

wind disse...

Isto é uma folha a voar?
É que não percebo muito bem...
Beijos

Isabel José António disse...

Querida Amiga Paula Raposo,

Folha que sobressais
Nas cortinas da janela
Já sabes para onde vais
Ou já vives mesmo nela?

Folha que finges ser
Uma Natureza morta
Mostra que queres ser
O caminho para a porta

Muitos parabéns, querida amiga por este post.

Um abraço

José António

PS.:
Já actualizámos todos os nossos blogues. Quer dar uma espreitadela?

Luis F disse...

Paula não só de poesia vive o teu ser, mas igualmente de uma visão grandiosa da vida, neste caso... através da captação de imagens.

A sensibilidade existe em ti amiga...

Gostei muito de conhecer este teu mundo

Bjs
Luis

Sandokan disse...

Às vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
Nunca desistas dos teus sonhos… e nunca os deixes para trás. Encontra-os, torna-os próprios e durante toda a tua vida tem muito carinho por eles e nunca os deixes partir. Necessitas de muita dedicação para realizares os teus sonhos, porque eles não se realizam por magia dado que a magia é pura ilusão – o alimento dos perdedores - que nunca te vai tirar do lugar onde te encontras.
BOA SEMANA!

Å®t Øf £övë disse...

Paula,
Gosto de espreitar através da tua lente.
Beijinhos.

uminuto disse...

lindo e poético este magnífico olhar
um beijo

Viajantis disse...

Fantastica!